4 benefícios não óbvios do exercício para o cérebro

4 benefícios não óbvios do exercício para o cérebro

Todos conhecem os benefícios do desporto: bom sono, um coração saudável e um corpo tonificado. Mas as pessoas raramente pensam nos efeitos dos treinos sobre o órgão mais importante, o cérebro. A neurocientista e professora da Universidade de New York Wendy Suzuki explicou como o exercício físico melhora as capacidades cognitivas de uma pessoa e ajuda-a a viver mais tempo.

1. O exercício reduz a ansiedade

Estudos têm demonstrado que a cada movimento, muitos neurotransmissores benéficos, entre eles a dopamina e a serotonina, entram no cérebro. Estas substâncias podem reduzir a ansiedade e a depressão.

Apenas 10 a 30 minutos de actividade física por dia é suficiente para elevar o seu estado de espírito. Não tem um cartão do clube no centro de fitness? Então dê um passeio ou escolha as escadas em vez do elevador. Suzuki escreve que quando está completamente sem tempo, ela simplesmente anda várias vezes à volta da sua mesa de jantar.

2. O exercício melhora a concentração

Numa das suas experiências de laboratório, Suzuki descobriu que mesmo um treino pode melhorar a concentração. Após um treino de 30 minutos, o efeito dura pelo menos 2 horas. Além disso, estudos demonstraram que estes exercícios podem melhorar a velocidade de reacção.

É melhor optar por uma actividade que acelere o seu ritmo cardíaco, tal como andar depressa, correr, nadar, andar de bicicleta, jogar ténis, ou saltar à corda.

3. O exercício promove o crescimento de novas células no cérebro

Os cientistas encontraram outro benefício de exercício para o cérebro. Descobriram que os exercícios promovem a neurogénese, ou seja, o aparecimento de novas células no cérebro. Isto é especialmente importante para melhorar as capacidades cognitivas.

Durante experiências em ratos e ratazanas, os cientistas descobriram que a corrida acelera a criação de novas células cerebrais no hipocampo, que é responsável pela função da memória. O exercício também pode melhorar a saúde e a função das sinapses entre neurónios, permitindo às células cerebrais comunicar melhor.

4. O exercício protege o cérebro do envelhecimento e de doenças neurodegenerativas

Pense no seu cérebro como um músculo: quanto mais o exercitar, melhor será o seu desempenho. Estudos demonstraram que o exercício regular aumenta o tamanho do hipocampo e do córtex pré-frontal, que são propensos a doenças neurodegenerativas como a demência ou a doença de Alzheimer.

É claro que o exercício não pode parar o envelhecimento, mas pode abrandá-lo visivelmente. Não é necessário tornar-se um triatleta, apenas três treinos por semana durante 30 minutos é suficiente. Os mais úteis são os exercícios aeróbicos, que aceleram os batimentos cardíacos e oxigenam o cérebro.

Se esta quantidade de exercício ainda o assusta, comece a exercitar alguns minutos por dia e aumente o tempo em 5 a 10 minutos por semana. Não se esqueça das actividades em casa; a esfregadura vigorosa do chão ou a limpeza das folhas também conta.


No more posts
No more posts