6 maneiras de lidar com atitudes negativas que estão a perturbar a sua vida

6 maneiras de lidar com atitudes negativas que estão a perturbar a sua vida

Há muitos exemplos de atitudes negativas na sociedade actual. Muitas pessoas pensam desta forma:

  • “Tenho medo de erros. Não tenho o direito de estar errado”;
  • “Não posso ter sucesso sem dinheiro e ligações”;
  • “Não sei como ganhar dinheiro e não vou conseguir nada”;
  • “A minha aparência é feia”. Ninguém gosta de pessoas gordas ou de pessoas muito magras”;
  • “Prefiro viver como estou agora, do que entrar no desconhecido”;
  • “Quero chorar ou queixar-me dos meus problemas, mas não tenho ninguém”.

E estes são apenas alguns exemplos de atitudes negativas. Na realidade, há muitos mais.

Porque é que eles surgem na cabeça das pessoas? Podem aparecer por várias razões: por causa de comentários descuidados dos pais, críticas no trabalho, elogios questionáveis de conhecidos ou más experiências no passado. Em qualquer caso, estão firmemente alojados no subconsciente e podem agora interferir com o crescimento no trabalho, construindo relações com amigos ou parceiros e (o mais importante) amando-se a si próprios.

A boa notícia é que se pode trabalhar em atitudes negativas e substituí-las gradualmente por atitudes positivas! E hoje vamos falar de formas de o fazer.

O que são atitudes psicológicas e como é que afectam a vida?

As atitudes psicológicas são crenças que surgiram em algum momento da vida de uma pessoa. Muitas vezes, ele pode nem sequer estar consciente delas, no entanto, elas irão afectar as suas acções em diferentes situações.

As atitudes psicológicas podem ser positivas e negativas. Por exemplo, se os pais elogiarem a criança e enfatizarem os seus pontos fortes, o mais provável é que ele ou ela interiorize a crença “Eu sou bom, eu posso fazê-lo”. Se lhe forem constantemente apontadas deficiências, a criança pode crescer e tornar-se um pessimista com a atitude negativa de que “não vou conseguir”. Devido a isso, mesmo na idade adulta, será difícil iniciar novas actividades.

Antes de trabalhar com crenças negativas, é preciso descobrir quais as atitudes psicológicas que se tem. Para o fazer, pode escrevê-las no papel e pensar de onde elas vieram. Se nada lhe vier à mente, pode fazer perguntas a si próprio:

  • “Que mensagens verbais e não verbais me deram os meus pais?”;
  • “O que me disseram os professores e os colegas durante os meus anos de escola?”;
  • “Havia situações em que eu não era bom em alguma coisa? Como é que me senti?”.

Para que serve? Em primeiro lugar, far-lhe-á perceber que as atitudes prejudiciais existem realmente, e compreender como soam. Em segundo lugar, permite-lhe olhar para elas a partir do exterior e com a mente aberta. Por vezes, mesmo este passo é suficiente para compreender como mudar a sua vida (uma avaliação objectiva da situação ajuda a perceber o fracasso da atitude e a questioná-la).

Como lidar com as atitudes negativas?

Há pelo menos seis maneiras eficazes de parar de o fazer:

1. Envolver-se em liberdade

As práticas de escrita ajudam a lidar com experiências desagradáveis e a libertar emoções negativas. Por exemplo, a escrita livre é uma forma de pôr a sua mente no papel e encontrar pensamentos perturbadores nele.

Formule uma declaração que o incomoda, e tente descobrir que sentimentos evoca. Pegue num pedaço de papel e numa caneta, ou abra um processador de texto. Estabeleça um limite de tempo: se está apenas a começar a praticar o freelancing, escreva durante 10 minutos. Gradualmente, pode aumentar as sessões para 15-20 minutos.

Comece a escrever. Não reler, não corrigir erros, e não analisar o que escreveu. Se nada lhe vier à mente, escreva “Não tenho pensamentos”. Pode escrever a mesma frase uma e outra vez – ajuda a aliviar o seu cérebro. Eventualmente, pensamentos úteis irão aparecer no papel, mesmo que sejam necessárias várias sessões de escrita.

Quando o tempo se esgotar, pare e releia o que escreveu. Sublinhe as ideias que merecem atenção. Se não fizer sentido, faça uma pausa e tente uma segunda sessão mais tarde, quando puder concentrar-se no tema que deseja compreender.

2. Tente substituir as atitudes nocivas por novas atitudes positivas

Este método ajudará a mudar o foco de atenção do mau para o bom em si mesmo.

Faça uma lista das suas atitudes negativas, e ao contrário escreva as que lhe são úteis: o oposto ou simplesmente com sentido positivo. Em vez de “O amor deve ser merecido” escreva “Eu mereço o amor”. E em vez de “O dinheiro não é felicidade” escreva “O dinheiro dá-me novas oportunidades”.

A persuasão deve ser formulada no tempo presente, ser específica e evocar emoções positivas. Evite a partícula “Não”: em vez de “Não quero ganhar pouco dinheiro” escreva “O dinheiro entra facilmente na minha vida”.

Reler diariamente as atitudes positivas, dizendo-as a si próprio e prestando atenção às emoções que surgem. Com a prática regular, as áreas do cérebro responsáveis pelo processamento da informação podem tornar-se activadas, bem como os centros de recompensa que respondem a outras experiências agradáveis.

Dica: Nem sempre é possível abandonar independentemente as atitudes negativas e substituí-las por atitudes positivas. Neste caso, faz sentido consultar um psicólogo: ele irá ajudar a iluminar as crenças presentes e a trabalhar através delas.

3. Fazer uma colagem de sucessos

Isto permitir-lhe-á distrair-se de pensamentos negativos e, ao mesmo tempo, expressar-se de forma criativa.

Lembre-se dos momentos em que estava feliz e confiante, e das realizações de que se orgulha. Escreva cada um deles numa folha separada e, se possível, apoie-os com fotografias ou ilustrações. Depois recolha-as todas no mesmo local: coloque-as numa bela caixa ou faça uma colagem online (por exemplo, em Pinterest) ou fisicamente (numa prancha de cortiça).

Tal colagem pode ser colocada sobre a sua secretária ou pendurada no quarto por cima da sua cama. Olhe para ela periodicamente para se lembrar das coisas boas e para recordar que as atitudes negativas são apenas pensamentos intrusivos, não um reflexo da realidade. Recordar as coisas pelas quais está agradecido irá ajudá-lo a sentir-se mais feliz e dar-lhe esperança no melhor.

4. Pratique a meditação

A meditação ajuda a combater a raiva e outras emoções negativas, incluindo as que dizem respeito a si próprio. Ensina-lhe também como orientar os seus pensamentos na direcção certa.

Para se livrar das críticas interiores, pode praticar meditação regularmente de manhã ou à noite. E se as emoções provenientes de atitudes nocivas se meterem no caminho durante o dia, faça uma pausa no trabalho, medite e volte aos negócios.

A meditação não lhe tomará muito tempo. Pode reservar 15-20 minutos por dia para começar. Não precisa de meditar na posição de lótus. Pode também sentar-se numa cadeira, desde que a sua coluna vertebral esteja direita.

A sua tarefa durante a meditação é concentrar-se em algo específico. Algumas pessoas concentram-se na respiração, outras repetem um mantra. Mas, para um principiante, também pode escolher um objecto material, como por exemplo, olhar para a chama de uma vela.

Durante a meditação, vários pensamentos irão surgir na sua cabeça: planos, trechos de conversa, ou um desejo de mudar a sua postura. Tente ignorar estas distracções para que possa voltar ao objecto em que se está a concentrar vezes sem conta. A meditação ajudá-lo-á a desenvolver a concentração e a aprender a notar o que se passa com o seu corpo.

5. Analise o seu ambiente

Esta é uma tarefa emocionalmente difícil mas importante. Por vezes, alguns amigos, colegas, amigos, ou parentes apenas alimentam a crença em atitudes nocivas. Podem ser guiados pela melhor das intenções (simplesmente porque acreditam na verdade dessas atitudes).

Mas se se sentir constantemente cansado ou irritado depois de comunicar com a pessoa, deve estar atento.

Preste atenção: O seu amigo está satisfeito com as suas realizações, ou apenas critica? Pense nisso: trata-o com confiança, ou tenta não dizer muito? Se pensa que a comunicação não traz um pouco de positividade, pode ser necessário limitá-la.

6. Consulte um psicólogo online ou pessoalmente

Pode ser difícil passar por tudo sozinho, por isso a ajuda profissional é a mais adequada para si. Um psicólogo ajudará a compreender a difícil situação na vida e a trabalhar através das atitudes nocivas.

Dica: O medo de ir a um psicólogo também pode ser uma atitude negativa. Mas na realidade é uma forma de se compreender melhor, de encontrar as fontes de desconforto e de chegar gradualmente a uma relação saudável consigo mesmo e com os outros.

Pode trabalhar com um psicólogo online – não é menos eficaz do que uma reunião presencial, e não tem de gastar tempo e energia na estrada.


No more posts
No more posts