Após a bronquite em uma criança, continua a tossir: causas, sintomas e métodos de tratamento

Após a bronquite, a tosse do seu filho continua a incomod á-lo? Aprenda sobre possíveis causas e tratamentos eficazes para ajudar seu filho a se livrar da tosse após a bronquite.

A bronquite em crianças é uma doença comum, especialmente durante os meses mais frios e no outono, quando o clima muda drasticamente. No entanto, depois que a bronquite desaparece, algumas crianças podem continuar a experimentar a tosse por algum tempo. Isso pode ser desagradável e angustiante para os pais, especialmente se a tosse continuar por semanas ou meses. Nesses casos, um médico deve ser consultado para descobrir a causa da tosse contínua e prescrever o tratamento apropriado.

A tosse continuada após a bronquite em uma criança pode ser o resultado de vários fatores. Uma das causas pode ser queimaduras e irritação da mucosa brônquica, que são formadas durante a bronquite. Como resultado, os brônquios se tornam mais sensíveis e reagem a irritantes no ambiente. Outro motivo pode ser a presença de infecção residual após bronquite, quando bactérias ou vírus continuam a se multiplicar no corpo da criança. Nesses casos, são necessários mais testes para descobrir a causa da tosse persistente e prescrever o tratamento adequado.

O que fazer

Se a tosse da criança não desaparecer após a bronquite, os pais devem consultar um médico. O médico conduzirá um exame, ouvirá reclamações e poderá prescrever testes adicionais para descobrir a causa da tosse persistente.

Além disso, os pais são aconselhados a:

  • Crie condições favoráveis para a criança: forneça temperatura calma, aconchegante e confortável na sala.
  • Forneça à criança água suficiente para facilitar a expectoração do muco.
  • Deixe a criança descansar e dormir para restaurar a força do corpo.
  • Verifique se a criança não está exposta a irritantes do ar, como fumaça de cigarro ou vapores químicos.
  • Evite dar ao seu filho remédio sem a recomendação de um médico. O uso não controlado de antibióticos ou medicamentos tosse pode ser inseguro

Se a causa da tosse persistente não estiver relacionada a complicações da bronquite, o médico poderá recomendar tratamentos adicionais, como fisioterapia ou prescrever medicamentos para ajudar a reduzir a inflamação e aliviar a tosse.

É importante lembrar que todo corpo é diferente e o tempo de recuperação após a bronquite em crianças pode diferir. Portanto, é importante consultar um médico e obter recomendações para um caso específico.

Como tratar

Para tratar a tosse após bronquite em uma criança, é necessário usar uma abordagem abrangente, incluindo terapia medicamentosa, procedimentos fisioterapêuticos e regime alimentar.

O médico pode prescrever os seguintes grupos de medicamentos:

  • Mucolíticos e expectorantes: eles ajudam a liquefazer o escarro e promover sua remoção do corpo. A composição de tais medicamentos geralmente inclui substâncias ativas, como acetilcisteína, brromhexina, ambroxol e outros.
  • Broncodilatadores: Eles ampliam as vias aéreas e facilitam a respiração da criança. Exemplos de tais medicamentos são salababiliblina, teofilina, berodual e outros.
  • Medicamentos anti-inflamatórios: eles reduzem a inflamação no brônqui e ajudam na tosse. Drogas como ibuprofeno e prednisolona podem ser aplicadas por um médico, dependendo da situação individual.

É importante lembrar que a auto-medicação da tosse de uma criança após a bronquite pode ser perigosa. É necessário consultar um médico para prescrever o melhor tratamento, dependendo da idade, condição da criança e a natureza da tosse.

Os procedimentos fisioterapêuticos desempenham um papel importante no tratamento da tosse após bronquite em uma criança. Eles ajudam a melhorar a expectoração do escarro, reduzir a inflamação e fortalecer o trato respiratório. O médico pode prescrever os seguintes procedimentos:

  • Inalações: são realizadas usando um nebulizador e soluções especiais que ajudam a afetar diretamente os brônquios, hidratar a membrana mucosa e melhorar a expectoração do escarro.
  • Massagem no peito: ajuda a melhorar o fluxo de escarro, fortalece os músculos respiratórios e ajuda a restaurar a ventilação normal.
  • Exercícios físicos: conjuntos especiais de exercícios ajudam a melhorar o fluxo de escarro e fortalecer os músculos respiratórios. Eles podem ser realizados na forma de treinamento físico terapêutico ou exercícios de respiração especial.

A nutrição também desempenha um papel importante no tratamento da tosse após bronquite em uma criança. Recomend a-se aumentar a ingestão de líquidos para liquefazer o escarro e facilitar sua expectativa. Também vale a pena dar preferência a alimentos facilmente digeríveis e ricos em vitaminas, como frutas frescas, legumes, produtos lácteos fermentados.

Todas as consultas e recomendações para o tratamento da tosse após bronquite em uma criança devem ser coordenadas com um médico. Somente ele poderá determinar o curso ideal do tratamento em cada caso específico.

Causas e sintomas

  • Desenvolvimento de complicações: Em alguns casos, a bronquite pode causar várias complicações, como pneumonia, asma ou obstrução brônquica. Essas complicações podem continuar causando tosse após a bronquite já ter sido tratada.
  • Inflamação brônquica: A inflamação brônquica pode persistir após a cura de bronquite e causar tosse contínua. Isso pode ser devido à depuração incompleta da infecção ou à inflamação restante no corpo.
  • Reação a irritantes: em alguns casos, uma criança pode continuar a tossir após bronquite devido à exposição a vários irritantes, como fumaça, poeira, alérgenos ou ar frio.

Em caso de tosse contínua após bronquite, você deve procurar sintomas associados que possam indicar complicações ou outros problemas. Alguns deles incluem:

  • A falta de ar: falta de ar persistente ou dificuldade em respirar podem indicar complicações no sistema respiratório.
  • Força e duração da tosse: se a tosse piorar ou durar mais do que algumas semanas após a cura da bronquite, pode ser um sinal de outros problemas.
  • Expectorativa do escarro: se seu filho continuar cuspindo escarro ou se o escarro mudar (como se tornar purulento ou sangrento), pode haver um sinal de complicações.
  • Sintomas gerais: se a tosse for acompanhada de febre, fraqueza ou outros sintomas gerais, pode indicar outra doença infecciosa.

É importante consultar um médico se a tosse continuar após a bronquite e for acompanhada por um aumento ou novos sintomas. Somente um médico qualificado poderá determinar a causa da tosse em andamento e prescrever o tratamento apropriado.

Quando ver um médico

Se após a bronquite, a tosse da criança não desaparecer por um longo tempo, é necessário consultar um médico para avaliação adicional da condição e prescrição do tratamento. Caso a tosse esteja acompanhada pelos seguintes sintomas, também é recomendável consultar um médico:

  • Dificuldade em respirar;
  • Dor no peito intensa;
  • Febre alta;
  • Fraqueza e fadiga;
  • Aumento da transpiração;
  • Aparência de sangue ou expectoração purulenta;
  • Mau ganho de peso ou perda de peso;
  • Falta prolongada de apetite
  • Dor abdominal intensa;
  • Perturbação prolongada do sono.

O médico realizará o exame necessário e determinará a causa da tosse persistente. Dependendo dos fatores identificados, testes adicionais, como radiografias de tórax, testes de sangue e escarro, podem ser necessários.

Impedindo uma recorrência de tosse

Prevenção da retomada de tosse

Depois de derrotar a bronquite, é importante tomar medidas para impedir que sua tosse seja recorrente. Aqui estão algumas recomendações para ajudar a fortalecer o sistema imunológico de seu filho e minimizar o risco de uma recorrência:

  • Mantenha a higiene das mãos: lave as mãos regularmente com água e sabão, especialmente antes de comer e depois de visitar locais públicos. Se a água e o sabão não estiverem disponíveis, use gel ant i-séptico.
  • Evite o contato com pessoas doentes: seja cauteloso e evite diligentemente o contato com pessoas que apresentam sintomas de resfriado ou gripe. Isso é especialmente importante durante uma epidemia de gripe.
  • Mantenha um estilo de vida saudável: forneça ao seu filho uma dieta equilibrada que inclua vegetais, frutas, grãos, proteínas e laticínios. Incentive a atividade física para fortalecer o sistema imunológico e melhorar a saúde geral do corpo.
  • Imunizações: Siga as recomendações do seu médico para imunizar seu filho contra doenças que podem causar tosse, como tosse convulsa e influenza.
  • Ar interno: mantenha um nível ideal de umidade na sala para evitar secar as membranas mucosas do trato respiratório. Também ventile a sala regularmente e evite o acúmulo de poeira.
  • Limite o contato com os alérgenos: se seu filho tiver alergias, tente identificar e eliminar possíveis alérgenos no ambiente para evitar a tosse.
  • Tratamento adequado: Se o seu filho ainda estiver tossindo após bronquite, entre em contato com o seu médico para obter recomendações para obter mais tratamento ou prevenção. O tratamento adequado e oportuno ajudará a reduzir o risco de recorrência da tosse.

Seguir essas recomendações ajudará a fortalecer o sistema imunológico de seu filho e impedirá a recorrência da tosse após a bronquite.

Possíveis complicações

Embora a maioria dos casos de bronquite fique sem complicações, às vezes alguns problemas podem surgir, especialmente em crianças. Aqui estão alguns deles:

  • Bronquite crônica: se a tosse de uma criança não desaparecer após a bronquite por mais de três meses por ano, durante dois anos seguidos, pode indicar a presença de bronquite crônica. Nesse caso, é importante consultar um médico para avaliação e tratamento adicionais.
  • Asma brônquica: algumas crianças, especialmente aquelas com histórico de bronquite, podem desenvolver asma brônquica. Esta é uma condição crônica na qual as vias aéreas ficam inflamadas e estreitadas, levando a crises de chiado, falta de ar e tosse. Se uma criança sofrer esses sintomas, é importante consultar um médico para diagnóstico e tratamento.
  • Infecção pulmonar: Após a bronquite, o sistema imunológico de uma criança pode ser enfraquecido, tornand o-as mais vulneráveis a outras infecções pulmonares, como a pneumonia. Se seu filho mostrar sinais de infecção pulmonar, como febre, tosse com escarra purulenta, falta de ar e fraqueza, você deve consultar um médico imediatamente.

Em caso de complicações da bronquite em uma criança, é importante consultar um médico para obter um diagnóstico correto e prescrever um tratamento eficaz.

Medicamento

O tratamento com medicamentos pode ser necessário para a tosse prolongada após bronquite em uma criança. O médico assistente prescreverá medicamentos apropriados, levando em consideração a idade e as características do corpo da criança, bem como as causas da tosse em andamento.

Os principais grupos de medicamentos que podem ser prescritos para tratar uma tosse em uma criança são:

  • Broncodilatadores. Esses medicamentos ajudam a dilatar os brônquios e melhorar o fluxo de ar. Eles são especialmente eficazes se a tosse for causada pelo estreitamento das vias aéreas. Os broncodilatadores podem vir de diferentes formas – inaladores, xaropes ou comprimidos.
  • Mucolíticos. Esses medicamentos ajudam a liquefazer e a fleuma da expectativa, o que ajuda a reduzir a tosse. Os mucolíticos podem ser apresentados de várias formas – na forma de xaropes, cápsulas ou pós.
  • Supressores de tosse. Esses medicamentos ajudam a reduzir a tosse grave e improdutiva. Eles geralmente contêm codeína ou dextrometorfão, que suprime o reflexo da tosse. Os supressores de tosse podem vir de várias formas – como xaropes, comprimidos ou cápsulas.

É importante lembrar que a prescrição e dosagem de medicamentos devem ser realizados apenas por um médico. Não selecione e use medicamentos por conta própria, pois o tratamento incorreto pode prejudicar a saúde da criança.

Vídeo sobre o assunto:

Q & amp; A:

O que fazer se a tosse da criança não desaparecer após a bronquite?

Se a tosse da criança não desaparecer após a bronquite, é necessário consultar um médico. Talvez a criança tenha complicações ou exija tratamento adicional.

Quais sintomas indicam que a tosse após a bronquite não desaparece em uma criança?

Se a tosse da criança não passar após a bronquite, podem ser observados os seguintes sintomas: tosse prolongada, a tosse é acompanhada de forte falta de ar, o estado geral da criança piora.

Como você pode tratar a tosse em uma criança após bronquite?

O tratamento da tosse em uma criança após bronquite pode incluir o uso de medicamentos mucolíticos, inalações, uso de antitussígenos, procedimentos de fisioterapia, ventilação regular do ambiente e hidratação do ar.

Quanto tempo pode durar a tosse de uma criança após a bronquite?

A duração da tosse em uma criança após bronquite pode ser diferente e depende das características individuais do corpo. Geralmente a tosse pode durar de várias semanas a vários meses. Se a tosse não passar por muito tempo, é necessário consultar um médico.

Quais podem ser as razões pelas quais a tosse de uma criança não desaparece após a bronquite?

Se a tosse da criança não passar após a bronquite, a causa pode ser complicações após bronquite, recidiva da doença, reação alérgica, presença de outras doenças do aparelho respiratório. A causa exata deve ser estabelecida por um médico.

Que sintomas uma criança pode apresentar após bronquite?

Após a bronquite, os seguintes sintomas podem persistir na criança: tosse, que pode durar várias semanas; fadiga e fraqueza; maior vulnerabilidade a outras infecções respiratórias.

Métodos fisioterapêuticos

Entre os principais métodos fisioterapêuticos para tratamento da tosse após bronquite em crianças estão:

  1. Inalações. O uso de inalações com o uso de soluções medicinais ou água mineral permite atuar efetivamente na mucosa do trato respiratório e melhorar sua função. As inalações podem ser realizadas usando inaladores ou nebulizadores especiais.
  2. Terapia ultrassônica. O uso da terapia de ultrassom ajuda a melhorar a circulação sanguínea e o fluxo linfático no corpo, além de estimular os processos de regeneração tecidual. Este método pode ser eficaz na tosse crônica após bronquite.
  3. Ginástica respiratória. É dada especial atenção aos exercícios respiratórios, que ajudam a fortalecer os músculos respiratórios e a melhorar a ventilação pulmonar. Para uma criança, fazer exercícios respiratórios pode ser uma atividade interessante e divertida, que contribui para sua participação mais ativa no processo de tratamento.
  4. Massagem no peito. A massagem das costas e do peito ajuda a melhorar a expectoração do catarro dos pulmões, aliviar a tensão muscular e estimular a circulação sanguínea na área. Este método é especialmente útil se houver dificuldade em expectorar.
  5. Terapia com ondas de choque. O uso da terapia com ondas de choque pode melhorar a circulação sanguínea, suavizar a membrana mucosa do trato respiratório e promover a reabsorção do escarro. Esse método pode ser eficaz na presença de tosse crônica e dificuldade em expectorar.

O médico prescreve certos métodos de fisioterapia e sua combinação, dependendo da idade da criança, da natureza da tosse e da condição geral do paciente. É importante lembrar que o uso da fisioterapia deve ser realizado sob a supervisão e recomendações de um especialista.

Dieta e regime

Dieta e regime

Após a bronquite, é muito importante prestar atenção à dieta e regime da criança. Nutrição e descanso adequados ajudarão a acelerar o processo de recuperação e evitar complicações.

Durante o período de reabilitação, é recomendável aderir às seguintes regras:

  • Nutrição: Para fortalecer o sistema imunológico, seu filho precisa obter nutrientes suficientes. A dieta deve ser rica em proteínas, vitaminas e minerais. Recomend a-se aumentar o consumo de frutas e legumes frescos, verduras, laticínios, peixes, carne e ovos. Você também deve limitar o consumo de alimentos doces, gordurosos e fritos, bem como alimentos que causam reações alérgicas.
  • Regime de bebida: é importante fornecer à criança fluidos suficientes. Recomenda-se beber água pura, leite com baixo teor de gordura, chás de ervas, compostos. Evite bebidas carbonatadas, sucos com adição de açúcar e álcool.
  • Regime diário: organize a criança um descanso e o sono total. Observe o regime do dia, defina um certo tempo para dormir e vigília. Também é necessário limitar o tempo gasto nas telas dos gadgets, pois a estadia prolongada na frente da tela pode agravar a condição do trato respiratório.
  • Atividade física: Durante o período de reabilitação, a criança deve ter tempo para se recuperar. Não é recomendável praticar esportes ativos ou participar de atividades físicas que podem pressionar adicionais o sistema respiratório.
  • Higiene: Preste atenção especial à higiene do seu filho. Ventile regularmente a sala em que ele/ela está hospedado. Evite o contato com pessoas doentes e evite lugares com alta concentração de poeira ou substâncias nocivas.

Após a dieta e o regime certos, você poderá acelerar a recuperação da criança após a bronquite e evitar complicações. Em caso de dúvidas ou falha em melhorar a condição, é recomendável procurar ajuda de um médico.